Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Campi da Unespar se mobilizam no combate à Dengue, Paraná está em situação de epidemia

Campi da Unespar se mobilizam no combate à Dengue, Paraná está em situação de epidemia

Últimas Notícias

por publicado: 06/03/2020 15h15 última modificação: 12/08/2020 15h08

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Paraná divulgou, na última terça-feira (3), que o número de mortes por dengue no estado subiu de 23 para 30 em uma semana. O estado também apresentou 27,3% de aumento em relação ao número de casos confirmados da doença, passando a mais de 44,4 mil casos confirmados. Os números indicam um acúmulo de 336,21 casos a cada 100 mil habitantes, o que coloca o estado em situação de Epidemia. Preocupados com o avanço dos casos, os campi da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) que se inserem em áreas de risco estão realizando atividades de combate à doença. 

De acordo com o Boletim da Dengue, divulgado semanalmente pela Sesa, atualmente o Paraná conta com 106 municípios em epidemia da doença. Outros 47 municípios estão em alerta. Ao todo, dos 399 municípios do Paraná, 221(55,4%) tiveram ocorrência de caso autóctone, ou seja, aquele que se originou na região onde foi registrado. 

CONSULTE AQUI O BOLETIM COMPLETO

PARANAVAÍ - Município cuja Regional de Saúde lidera a lista com mais registros da doença, com 11.241 casos e 5 mortes-, na última segunda-feira (02), servidores do campus da Unespar realizaram um “arrastão”, coordenado pela direção do campus, no entorno das instalações para eliminar possíveis criadouros do mosquito transmissor da dengue. O diretor Edmar Bonfim informa que na segunda semana de aula, entre os dias 23 e 27 de março, será realizado outro arrastão em todo o campus com o mesmo objetivo, desta vez pelos calouros, coordenado pela Seção de Assuntos Estudantis. 

CAMPO MOURÃO -  Com 4.791 casos confirmados e 5 mortes registradas pela Regional de Saúde, o diretor da Seção de Assuntos Estudantis do campus local, Adalberto Dias, começou, na última terça-feira (3), a visitar as salas de aula levando informativos sobre a doença. De acordo com ele, ao longo dos próximos dias todas as salas receberão os materiais. 

APUCARANA - Na cidade que conta com mais de 200 casos confirmados, o campus local da Unespar tem buscado parcerias com a comunidade externa para abordar o problema. No dia 29 de fevereiro, a Divisão de Extensão e Cultura, a cargo da professora Tania Terezinha Rissa, participou de um evento realizado pela Associação Comercial e Industrial de Apucarana (Acia) com a entrega de materiais informativos sobre a dengue. Os materiais também foram distribuídos nas solenidades de formatura. Além disso, o campus também participa do comitê Intersetorial contra a Dengue, junto com a 16° Regional de Saúde. O órgão realizou uma palestra sobre o tema na recepção dos calouros do campus nesta quarta-feira (4). 

PARANAGUÁ - Município em que a doença já alarmou a população nos anos anteriores, os trabalhos da Unespar começaram em 2019. No dia 20 de dezembro, o campus participou de um Ato Público, com apoio material da Sesa, na Praça Fernando Amaro, no Centro Histórico do município. A ação foi desenvolvidas pelos alunos do curso de Ciências Biológicas, com dois microscópios para observação de larvas do mosquito, cartazes e folders. A iniciativa deve ser repetida no mesmo local, com apoio material da Sesa e da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma), no dia 20 de março, em comemoração o Dia Mundial da Água. 

A direção do campus informa, ainda, que está marcado para o próximo dia 13 um Mutirão da Limpeza, com toda a comunidade acadêmica, para reabertura das atividades culturais do Centro Cultural da Unespar Palácio Mathias Bohn (CCPMB) e que a Divisão de Extensão e Cultura do campus também anunciou, em seu site e na Semana Pedagógica de abertura do ano letivo 2020, uma campanha Permanente contra a proliferação do mosquito da dengue. 

CURITIBA - Embora não se encontre em área de risco, o campus Curitiba II/FAP da Unespar também vem, desde 2019, desenvolvendo ações contínuas de prevenção à doença. Dentre elas: Eliminação de água armazenada em vasos de plantas, recipientes e em qualquer possível criador do mosquito Aedes Aegypti; a limpeza do forro do Anexo do Teatro Laboratório (TELAB); desinfecção das caixas d'água; limpeza das caixas d'água do TELAB, Anexo e Sede Cabral; e campanha de conscientização na comunidade para o combate à dengue. 

Alerta de condição climática favorável à doença

A Secretaria chama atenção dos municípios para que identifiquem sua situação de risco para a condição favorável à proliferação do mosquito da dengue e intensifiquem as medidas de controle necessárias, principalmente no Oeste, Noroeste e Norte do Estado. Os municípios podem acessar, semanalmente, o Serviço de Alerta Climático de Dengue do Laboratório de Climatologia da UFPR (disponível aqui) para identificar sua situação de risco para a condição favorável à proliferação do mosquito da dengue e intensificar as medidas de controle necessárias. O Laboclima/UFPR apresenta toda semana os graus de risco para desenvolvimento do vetor, o que contribui para o planejamento das atividades desse controle pelos municípios.

Onde tem água parada, pode ter dengue

A principal ação de combate à doença é eliminando os criadouros. Por isso, é importante verificar sempre locais onde a água possa permanecer empoçada, evitando a procriação do mosquito. Atenção especial a lixeiras dentro e fora de casa; vasilhas para animais; suporte de garrafão de água mineral; pratinhos de vasos e plantas; coletor de água da geladeira e ar condicionado; plantas que acumulam água na folhagem; vasos sanitários; vasos e baldes de plantas vazios; ralos; garrafas; lajes; piscinas; calhas; objetos d’água decorativos; caixas d’água, cisternas e poços; cacos de vidros nos muros; tonéis e depósitos de água; falhas nos rebocos; lixo, entulho e pneus velhos; objetos que acumulam água.

Facilite o controle da doença, permita sempre o acesso do agente de controle de zoonoses em sua residência ou estabelecimento comercial.

Como identificar a doença

Os sintomas da dengue são febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, náuseas e vômitos, dor no corpo, moleza e cansaço e manchas vermelhas no corpo. Ao apresentar um ou mais desses sintomas repouse, beba bastante água e procure uma unidade de saúde.

POR: Aline de Oliveira Silva

Acesso em: http://www.unespar.edu.br/noticias/campi-da-unespar-se-mobilizam-no-combate-a-dengue-parana-esta-em-situacao-de-epidemia